Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Acesso Associados

Notícias e Eventos

Outubro Rosa - Palestra

05/10/2017

A Cooperja e Ceprag, com apoio e parceria da Sonograf, realizaram na tarde de quarta-feira (04), em Praia Grande, uma palestra alusiva ao Outubro Rosa. Tema importante e que merece destaque este mês, para que a cada ano, mais mulheres se conscientizem para a realização do autoexame, mamografia e também para os cuidados diários com sua saúde, alimentação e bem estar.

A palestra foi ministrada pela médica radiologista da Clínica Sonograf e, membro titular do Colégio Brasileiro de Radiologia, Luciana Lacerda Burigo Trindade. “Tivemos uma conversa muito interessante sobre Saúde da Mulher, onde fui muito bem acolhida por um público repleto de mulheres que participaram ativamente da conversa. O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo e é o que mais incide e mais mata entre as mulheres. Além disso, no Brasil, isso só tem aumentado, ao contrário do que vem acontecendo em outros países, com sistema de rastreio melhor organizados. O conhecimento através da informação de qualidade traz mais chance para que a mulher consiga trabalhar melhor sua qualidade de vida, reduzindo os fatores de riscos modificáveis e buscando os exames de rastreio adequados para um diagnóstico precoce e uma redução efetiva na mortalidade”, declara a médica.

No Brasil, a idade certa para começar a fazer mamografia é 40 anos, porque entre 40 e 50 anos a prevalência do câncer de mama é de 25%, enquanto que em outros países, como EUA, Canadá e Suécia, fica entre 10% e 15%. “A mamografia anual de rotina a partir dos 40 anos mostrou melhor redução na mortalidade e é a recomendação conjunta do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR), da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e obstetrícia (Febrasgo). Outubro Rosa é um movimento de importância fundamental para chamar a atenção das mulheres sobre esse assunto, mas a prevenção e o rastreio deve acontecer o ano inteiro, converse com o seu médico”, explica Luciana.

 

 

 

Voltar

Mais Notícias